Adolescentes são feitos reféns pelo padrasto em Cafelândia

terça-feira, 03 de dezembro de 2019 | Geral

Dois adolescentes são feitos reféns pelo padrasto, na Rua Elizabeta Pereira, no Bairro Benjamim Antônio Motter, em Cafelândia, na tarde desta segunda-feira (2).

 

Segundo informações, os menores tem 13 e 15 anos, e são mantidos em cárcere privado desde 14 horas.

 

O batalhão de Choque da Policia Militar de Cascavel está na cidade e faz parte das negociações com o sequestrador.

 

A mãe das vítimas acompanha do lado de fora e tenta negociar a liberação dos filhos. A filha legítima do homem também está no local, porém o acusado não aceita liberar os menores.

 

Ambulâncias com socorristas do SAMU e policiais militares de Cascavel e região acompanham. Homens de Cascavel foram deslocados para ajudar no caso. Cafelândia fica a 50 quilômetros de Cascavel.

 

O homem que não teve o nome divulgado teria problemas psiquiátricos e sofreu uma crise após discussão, ele ameaça os enteados com uma faca caso a polícia invada a residência.

 

O major Jorge Aparecido Fritola, da Polícia Militar, falou com a imprensa no início da manhã de terça-feira (3), sobre as negociações com o homem de 39 anos que mantém reféns seus dois enteados, de 12 e 14 anos, em Cafelândia. A situação teve início na tarde de segunda-feira (2) e já se estende por mais de 15 horas.

 

De acordo com o major, o homem está "irredutível" quanto a deixar a casa. As negociações são feitas por militares do Bope (Batalhão de Operações Especiais), de Curitiba, e não têm um prazo determinado para terminarem. A intenção é oferecer oportunidades para que o suspeito deixe o local de forma pacífica.

 

O major comentou ainda que o homem não explicou o motivo de ter praticado tal ato. Durante as negociações, ele não dormiu e seu humor tem variado bastante, apresentando "picos de agressividade". Ainda segundo o oficial, o suspeito tem mostrado aos policiais que as crianças estão bem.

 

Uma das preocupações do padrasto é com a possibilidade de a PM invadir o local. Entretanto, o major garante que o objetivo é "negociar o tempo que for preciso". Conforme Fritola, a ação tática só sera utilizada em "iminente risco de vida".

 

 

O padrasto, que mantém dois enteados reféns, em Cafelândia, segue irredutível, segundo informou a Polícia Militar na manhã de hoje (03). Já são 17 horas de cárcere privado.

 

Inicialmente, a equipe do Pelotão de Choque de Cascavel coordenou as conversas com o homem. Policiais de Toledo e de Cafelândia também acompanharam as conversas, até a chegada do Batalhão Especializado.

 

Além de policiais, socorristas do Samu também prestam apoio na ocorrência.

 

Segundo repórter Genésio Roecker, o homem fica em um local, onde não é visto diretamente pelos negociadores. Ele usa um espelho para se comunicar com os policiais.

 

Os adolescentes, que são mantidos reféns, teriam dormido durante à noite e estão bem.

 

Por hora, não há movimentação para invasão do imóvel, tendo em vista que os policiais tentam uma saída pacífica e segura para o caso.



Fonte: Catve/Cgn

Leia também

desenvolvido por goutnix.com.br