Ambulatório de Tabagismo de Realeza promove Oficina aos pacientes

terça-feira, 09 de julho de 2019 | Realeza

No dia 05 de Julho, sexta-feira, aconteceu o encerramento da oficina sobre “como parar de fumar” essas orientações foram ministradas em conjunto entre o Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) e Estratégia Saúde da Família (ESF) III Nossa Senhora Aparecida de Realeza que realizou suas atividades nas sextas-feiras. Onde participaram uma equipe multidisciplinar composta por médico, enfermeiro, psicóloga e nutricionista e os agentes de saúde.

Foram divididos em quatro secções: Na 1º secção foram discutidos os problemas sociais causados pelo tabagismo, 2º secção foi discutido os aspectos psicossociais da dependência pelo cigarro, 3º secção foram realizados orientações sociais e nutricionais, 4º secção os participantes se reuniram para a avaliação clínica final com o médico sendo distribuídos os medicamentos para os pacientes, de acordo com sua classificação de risco e fornecido certificado de participação no curso.

O enfermeiro João Carlos, que faz parte do projeto, destacou que os encontros aconteceram uma vez na semana e todos os medicamentos utilizados no tratamento serão fornecidos no quarto encontro do grupo. Enfocou ainda a participação em todos os encontros. “O objetivo do programa é acolher e oportunizar o tratamento para a população que deseja abandonar o ato de fumar e terem uma vida mais longa e saudável”, frisou a enfermeiro.

A unidade fornece durante o tratamento, de acordo com a prescrição médica, a Bupropiona (medicamento para o controle da ansiedade) e os adesivos (que liberam nicotina para evitar crises de abstinência até que haja a desintoxicação do organismo). Esses medicamentos são gratuitos e também foram realizadas diversas orientações sobre o Tabagismo. Na avaliação final da oficina concluímos que teve uma grande participação dos pacientes, o que reflete o grande interesse em cessar o vício do tabagismo.
      
A Organização Mundial de Saúde considera o tabagismo a maior causa evitável de morbimortalidade no mundo. O cigarro tem mais de 4.700 componentes tóxicos que provocam mais de 50 doenças. O tratamento para cessação do tabagismo está entre as intervenções médicas que apresentam a melhor relação custo-benefício, superior inclusive aos tratamentos direcionados para hipertensão arterial, dislipidemia e infarto do miocárdio.

As toxinas contidas no cigarro provocam 25% dos infartos agudos do miocárdio e um terço de todos os cânceres. O câncer de pulmão, que mata  em 90% dos casos, tem o cigarro como seu agente principal. O hábito do cigarro está relacionado com várias doenças como gastrite, úlceras, da circulação sanguínea, diabetes, impotência sexual, infertilidade, má formações congênitas, depressão, doenças da tireoide, acidentes vasculares cerebrais, bronquites, enfisemas e sinusites.

Os homens fumantes entre 45 e 54 anos têm três vezes mais probabilidade de morrer de infarto que os não fumantes da mesma faixa etária. “É comprovado que 50% dos pacientes que têm infarto são tabagistas”

Por isso a importância do dizer não ao fumo e em contrapartida ter uma vida mais saudável.



Fonte: Assessoria

Leia também

desenvolvido por goutnix.com.br