Atleta de Realeza é pré-aprovada na Chapecoense Feminina

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019 | Realeza

A Chapecoense Feminina divulgou no último final de semana a lista das 60 atletas pré-aprovadas na seletiva que contou com a participação de mais de 1.500 meninas de todos os cantos do Brasil, em várias categorias. E na lista divulgada sábado, 9, estão três atletas do Sudoeste: a volante Michelly Calgarotto, de Verê, a atacante Bruna Barbosa, também de Verê, e a lateral-esquerda Érica Bueno, de Realeza.


Agora elas farão parte da segunda etapa da seletiva da Adell (Associação Desportiva Lourdes Lago), que é um projeto desportivo e social para meninas em Chapecó (SC).

A partir deste ano de 2019, equipes de futebol masculino que disputam a Libertadores e a Sul-Americana, são obrigadas a disputar também o futebol feminino. Com isso, a Chapecoense fez essa seletiva na semana passada, em várias categorias.

Quem são elas?

A atacante Bruna Barbosa, de Verê, começou a treinar há um ano e meio, com os professores Marcelo Stein e Lucas Antonello. “Sempre gostei de jogar futebol, praticava com minhas amigas pelo menos três vezes por semana. Herdei esse amor pelo futebol da minha família, pois todos jogam, é um sonho sendo realizado”, comenta Bruna, que tem apenas 12 anos, que vai jogar no sub-13. Ela foi acompanhada de sua amiga, a Michelly Calgarotto, que foi pré-aprovada para jogar no sub-15 da Chapecoense.


“Eu sempre gostei de praticar esportes. Comecei no handebol, mas não me achei muito bem. Aí fui pro futsal e lá encontrei o que eu queria. Fui jogar futebol pela primeira vez no Bom de Bola em 2016. Em 2017, fomos vice-campeãs no Bom de Bola. Essa aprovação na primeira etapa foi para mim uma surpresa, é um incentivo para continuar em busca desse sonho. Isso mostra que o trabalho dos nossos professores (Lucas e Marcelo) está rendendo bons frutos”, comenta Michelly.


Já Érica Bueno, de Realeza, tem uma história interessante, porque é filha de Valdelir de Souza Bueno, o Maninho, zagueiro do Real. “Minha filha joga futebol desde 2010. No futsal, ela foi campeã do Califus, do Realezense, ficou em quarto nos Jogos Escolares, vice-campeã na Copa Fronteira. Essa é uma grande oportunidade para ela, estamos muito orgulhosos. Hoje ela treina com os meninos, pois não temos trabalho no feminino aqui”, comenta o pai, que incentiva a filha a seguir sua carreira.



Fonte: Adolfo Pegoraro/Jornal de Beltrão

Leia também

desenvolvido por goutnix.com.br