Formação de ciclone extratropical deixa em alerta a Região Sul do país

segunda-feira, 29 de junho de 2020 | Clima Tempo

Após a passagem de uma frente fria, que provocou chuvas volumosas na Região Sul e em parte dos estados do Mato Grosso do Sul e de São Paulo na semana passada, uma massa de ar polar derrubou as temperaturas no Centro-Sul e trouxe uma condição de tempo mais firme.

 

No entanto, para o início desta semana, um ciclone extratropical começa a se formar sobre a Região Sul e esse processo traz potencial para chuvas intensas e fortes rajadas de vento. Após esse episódio, uma massa de ar polar contribui para a manutenção das temperaturas baixas e da sensação de bastante frio. A seguir confira os mapas de previsão, alertas e os destaques.

 

Alertas e destaques da previsão do tempo

Nesta segunda-feira (29), uma região de cavado contribui para a formação de instabilidades já no início da manhã no sul do Paraguai e no nordeste da Argentina. Por volta da metade do período começa a chover com moderada intensidade no noroeste do Rio Grande do Sul e no oeste dos estados de Santa Catarina e do Paraná.

 

A partir da tarde, o cavado intensifica e se desloca mais para o sul, espalhando as instabilidades pelo centro-norte e oeste do Rio Grande do Sul, onde há potencial para pancadas mais intensas.

 

Mas é durante a noite e a madrugada, que estão as condições de alerta. Com a intensificação do cavado, que favorece um escoamento mais intenso, as chuvas se tornam mais intensas e levam potencial para transtornos na metade norte do Rio Grande do Sul, principalmente para o oeste e noroeste do estado.

 

Por volta das primeiras horas da manhã de terça-feira (30), o cavado já evoluiu para um sistema de baixa pressão. Alerta de temporais e chuvas volumosas ao longo da manhã para a metade norte do Rio Grande do Sul, incluindo a região metropolitana de Porto Alegre, para o oeste de Santa Catarina e para o oeste e sudoeste do Paraná.

 

No período da tarde, as chuvas se espalham por todo o território catarinense, atingindo Florianópolis e o norte do estado, a partir da metade do período, e o sul, centro-oeste e norte do Paraná. Para a região metropolitana de Curitiba, o alerta para ocorrência de temporais é somente por volta do fim do dia e noite, quando as instabilidades também atingem o sul e oeste de São Paulo, leste e sul do Mato Grosso do Sul.

 

Na quarta-feira (01), a baixa pressão se encontra no oceano, agora ciclone extratropical, com sua frente fria associada sobre São Paulo. O tempo fica nublado, com chuvas de fraca intensidade ocorrendo de forma isolada sobre o território paulista. O sistema passa a atuar sobre o Rio de Janeiro e sul de Minas Gerais no período da tarde, proporcionando mais aumento de nebulosidade do que chuva. A intensidade dos ventos também aumenta, mas sem trazer potencial para grandes transtornos.

 

No Sul, a presença do ciclone no oceano contribui para uma condição ventosa no Rio Grande do Sul e de bastante nebulosidade na Região Sul, com previsão de chuvas fraca somente no leste gaúcho. Os ventos de sul contribuem para a sensação de frio, que chega até o norte do Mato Grosso do Sul.



Fonte: PORTAL TEMPO

Leia também

desenvolvido por goutnix.com.br