Nuvem de gafanhotos destrói lavoura na Argentina e insetos podem chegar ao Brasil

terça-feira, 23 de junho de 2020 | Agricultura

Produtores rurais e funcionários do governo da Argentina estão monitorando a entrada de uma nuvem de gafanhotos no país. Os insetos vieram do Paraguai e, por lá, destruíram lavouras de milho. Agora, a praga avança para a fronteira do Brasil com o Uruguai.

 

Na segunda-feira (22), o Serviço Nacional de Saúde e Qualidade Agroalimentar (Senasa) da Argentina publicou um mapa com alerta sobre o aparecimento de uma nuvem de gafanhotos em que é possível ver uma faixa vermelha que representa ‘perigo’. Regiões da fronteira oeste do Rio Grande do Sul estão no alerta dos argentinos.

 

Ainda na segunda, o governo de Córdoba, outra província argentina, também alertou para a passagem dos gafanhotos na região. O Ministério da Agricultura de Córdoba e o Senasa monitoram a situação.

 

Segundo comunicado, a nuvem de gafanhotos entrou no país pelo Paraguai no fim de semana. Em um quilômetro quadrado, até 40 milhões de gafanhotos podem comer o que 2 mil vacas consomem em um dia

 

As autoridades da província informaram ainda que os produtores devem relatar a presença da praga em áreas rurais e que ações de monitoramento estão sendo realizadas.

 

Ameaça à produção

Segundo o Serviço Nacional de Saúde e Qualidade Agroalimentar, os insetos podem causar danos às culturas e aos pastos mas não às pessoas. “As nuvens de gafanhotos podem passar por comunas, vilas ou cidades, mas não causam danos diretos aos seres humanos. Podem causar danos às culturas e aos pastos, mas não constituem um risco para as pessoas”, diz um comunicado.

 

 

 

 



Fonte: Canal Rural / Vídeo: Portal Leouve

Leia também

desenvolvido por goutnix.com.br