Polícia Civil esclarece informações do acidente ocorrido no dia 1º de janeiro em Realeza

quinta-feira, 24 de janeiro de 2019 | Policial

A Polícia Civil, através da delegada da Comarca de Ampére, Tais Melo, esclareceu algumas informações sobre o acidente fatal ocorrido no dia 1º de janeiro de 2019 na rodovia PR 182 em Realeza. A delegada recebeu as reportagens da Rádio Clube e Rádio Ampére/Interativa na delegacia em Realeza.

A delegada estava de plantão no dia, respondendo por toda a região da 19ª Subdivisão Policial de Francisco Beltrão, e iniciou as investigações com a equipe policial de Realeza. “No dia 1º recebi a notícia do acidente e como havia uma vítima fatal todas as diligências iniciaram, como: a requisição da perícia técnica no local, que foi feita, e também o Instituto Médico Legal (IML), para o recolhimento do corpo”, disse a delegada.

Um inquérito policial foi instaurado e as investigações iniciaram no mesmo dia. “Fomos atrás para saber quem eram as pessoas envolvidas, foi realizado o exame de alcoolemia, e também começamos a oitiva das pessoas”, destacou.

A colisão frontal ocorrida no início da manhã envolveu um automóvel Gol, placas de Ampére, e uma caminhonete S10, placas de Santa Izabel do Oeste. Do carro, o condutor Leonardo Felipe Ramos, 21, e a passageira do banco de trás, Ariana Bedin Danielle, 21, sofreram ferimentos graves, a ocupante do banco carona, Rayssa Bedin Camera, 22, faleceu no local. Do outro veículo, se apresentou como condutor Gilmar Baldissera, 53 anos.

A delegada argumentou que “apuramos, ainda no dia 1º, que na verdade houve uma fraude processual, a pessoa que se mostrou como condutor da caminhonete, não era a pessoa que estava dirigindo”, acrescentando que “a investigação iniciou dessa forma, e depois tomou outro caminho, descobrimos que na verdade quem estava dirigindo era o filho dele”. O verdadeiro condutor foi identificado como Rangel Baldissera.
 
Ainda segundo a delegada, Rangel se apresentou na Delegacia de Realeza na noite do dia 1º, ele foi interrogado e liberado, assumindo que estava na direção da caminhonete no momento do acidente. Também foi confirmada a direção que os veículos seguiam, oposta ao que foi informada num primeiro momento, a caminhonete vinha de Ampére sentido Realeza, e o Gol no sentido contrário.

“Esse inquérito policial investiga não somente o homicídio no trânsito, as causas desse homicídio serão apuradas principalmente pela perícia que ainda não entregou o laudo de quem teria provocado o acidente, mas existem indícios que apontaram para a caminhonete como o causador. Investiga também a fraude processual que foi constatada, denunciação caluniosa das pessoas que foram ouvidas e mentiram no testemunho e atrapalharam as investigações”, finalizou a delegada.

No dia 5 de janeiro, quando encerrou seu plantão, a delegada entregou o inquérito ao delegado responsável da Comarca de Realeza, Bruno Hein, que é delegado titular da Comarca de Capanema, para a continuação das investigações. As reportagens das rádios não conseguiram contato com o delegado.




Relembre o caso: Grave acidente com óbito é registrado no primeiro dia de 2019 em Realeza



Fonte: Rádio Clube

Leia também

desenvolvido por goutnix.com.br