Produtores rurais montam delivery e ganham clientes em Santo Antônio do Sudoeste

segunda-feira, 29 de junho de 2020 | Agricultura

No auge da quarentena, a Feira do Produtor de Santo Antonio do Sudoeste foi suspensa. A interrupção afetou a venda de produtores da agricultura familiar no município do sudoeste do Paraná, a maioria com produtos perecíveis, como hortifrutigranjeiros, pães, bolachas e bolos, entre outros. A saída foi oferecer um serviço de delivery, que contou com a parceria do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Agricultura Familiar, Sebrae/PR e do Ponto de Atendimento ao Empreendedor.

 

Neusa Rosane Lenz Viana, presidente do sindicato, conta que os produtores ficaram impedidos de promover a feira e havia a necessidade de encontrar alternativas para comercializar a produção.

 

 "A feira acontecia sempre aos sábados e foram 20 dias sem poder realizá-la. O serviço de entrega surgiu como uma forma de fazer a comercialização, seguindo as medidas preventivas", conta Neuza.

 

O delivery acontece sempre às quartas-feiras. Pedidos acima de R$ 50 reais são entregues aos clientes; abaixo desse valor, a retirada é na sede do sindicato, seguindo agenda para evitar aglomerações. Os produtos disponíveis são divulgados aos domingos e os pedidos são enviados aos produtores na terça-feira, de forma online.

 

O serviço proporcionou uma nova fonte de renda semanal para as 12 famílias que já participavam da Feira do Produtor e outras quatro da agricultura familiar. Com a venda de hortifruti, leite, queijos, iogurte, doce de leite, frango caipira, ovos coloniais, pães, bolachas e outros panificados, a comercialização nas quartas-feiras é de R$ 2.000,00, em média.

 

"O delivery proporcionou uma renda adicional às famílias e abriu um novo mercado. São dois perfis de clientes: aqueles que gostam de ir à feira (que voltou a funcionar aos sábados) e os que preferem a comodidade de receber em casa", reflete Neusa.

 

A presidente do sindicato relata ainda o apoio do Ponto de Atendimento ao Empreendedor. "O PA nos ajudou a colocar a ideia em prática e passou orientações de como divulgar o novo serviço", completa.

 

Ana Paula Tomazoni, agente do PA de Santo Antonio do Sudoeste, conta que os produtores encontraram um novo nicho de mercado, utilizando ferramentas tecnológicas acessíveis, como o Whatsapp e as redes sociais. "O PA deu suporte ao grupo com sugestões nos materiais de divulgação, entre outras informações", conta Ana Paula.

 

O consultor do Sebrae/PR, Diogo Kalinke, destaca a contribuição do PA no processo. "O Ponto de Atendimento colaborou para a inovação no processo de entrega. Desta forma, em parceria com os empreendedores, foi possível gerar alternativas que minimizem o impacto econômico da pandemia", completa Diogo.



Fonte: PORTAL TRI COM INFORMAÇÕES DE Antônio Menegatti | FOTO: Divulgação

Leia também

desenvolvido por goutnix.com.br