Santo Antônio do Sudoeste está em 3º lugar entre os municípios que mais produzem ovos no Paraná

terça-feira, 15 de dezembro de 2020 | Agricultura

O setor produtivo de ovos no Paraná movimenta R$ 582,43 milhões por ano. A criação de galinhas está espalhada em 342 dos 399 municípios paranaenses.

 

As cidades com maior produtividade de ovos ficam nas regiões norte e oeste. Em relação à escala de produção do estado, são 232.989,461 dúzias por ano, conforme aponta o Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP), da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento (SEAB).

 

Em unidades, são quase 2,8 bilhões de ovos produzidos anualmente no Paraná.

 

Além disso, a maioria desses ovos permanece para consumo dentro do país, já que a demanda interna é alta.

 

Foi feito um levantamento sendo que o município de Arapongas ocupa o primeiro lugar em número de produção dos ovos, seguido por Cruzeiro do Sul em segundo e o 3º lugar ficou para Santo Antonio do Sudoeste.

 

A produção de uma cooperativa de Nova Aurora, no oeste do Paraná, é enviada para cidades paranaenses e também para Santa Catarina.

 

“Quando foi fundada, em 2007, a cooperativa tinha uma produção que era de 30 a 35% do que é a produção hoje. Nós temos alojadas em torno de 200 mil galinhas e produzimos em torno de cinco milhões de ovos por mês”, conta o diretor-presidente da Coave, Mário Oenning.

 

Segundo ele, esses números devem aumentar ainda mais. A cooperativa planeja duplicar a produção em cinco anos.

 

“Nosso maior desafio hoje é o custo de produção. O milho e o farelo de soja acabam onerando muito a composição da ração que é fornecida aos animais. Com isso, o custo da produção se eleva muito e o mercado não tem conseguido dar sinais de assimilar esse custo”, afirma.

 

Aumento na produção

A projeção do aumento na produção de ovos vem em um ano complicado para vários setores por causa da pandemia do novo coronavírus.

 

A Associação Brasileira de Proteína Animal prevê que a produção de ovos deve bater recorde de 53 bilhões de unidades produzidas no país, o que representa 7% a mais do que em 2019.

 

Este crescimento acompanha a alta no consumo per capita de ovos, que deve atingir 250 unidades por pessoa – aumento de 7 a 8% em relação a 2019.



Fonte: JORNAL DA FRONTEIRA COM TRI-FRONTEIRA | FOTO: REPRODUÇÃO

Leia também

desenvolvido por goutnix.com.br